sábado, 13 de agosto de 2011

O mundo conspiratório de Loups=Garous


Em um futuro próximo, a população mundial se reduziu drasticamente devido á um vírus mortal que assolou todo o planeta. Nesse futuro utópico, as pessoas se comunicam quase que exclusivamente por monitores (lembram de Fractale?) e nessa sociedade totalitária (WOW, é exatamente esse o futuro que Suzuha quer evitar em Steins Gate, onde o totalitarismo reina), as pessoas só comem alimentos sintéticos e evitam ao máximo o contato físico com seus semelhantes. A realidade retratada em Loups-Garous (ou Le Loups-Garous) é completamente sistematizada e rigidamente controlada. Fazendo um paralelo interessante, é como a distopia do anime No.6 (Number Six), mas em Loups-Garous o controle é ainda maior, com câmeras e microfones instalados por todos os lugares, onde as pessoas que saíssem do padrão estabelecido, eram vistas como suspeitas e detidas.


Em meio a essa realidade virtual, uma série de assassinatos misteriosos e brutais, envolvendo crianças/adolescentes. Também há uma lenda urbana, sobre Lobisomens. Será possível  que velhas lendas se transformarem em realidade? Mesmo com a regrinha básica de evitar a interação, umas das vitimas do misterioso serial killer, acabara de ter contato com Rei Myao e Kono Ayumi, nisso suas amigas, Mio Tsuzuki e Makino Hazuki, também acabam envolvidas neste misterioso caso.


Bom, como dá pra ver, com uma boa sinopse, qualquer review mais rasa consegue transformar a série mais pífia, em algo extremamente bacana. Loups-Garous é uma Light Novel de autoria de Natsuhiko Kyogoku, com um volume e já concluída no longínquo ano de 2001. Ganhou adaptação em longa animado no ano de 2010, pela  Production I.G, com direção de Junichi Fujisaki, roteiros de Midori Gotou  e Sayaka Harada, além do character design de Akiharu Ishii. Quase todos os envolvidos também estiveram presentes na produção de Blood Plus. Então o que esperar?  Um filme muito bem produzido e executado. Porém, apesar de tecnicamente não deixar a desejar, a execução é uma tristeza. Esse é o clássico caso, onde se pega uma excelente premissa ou material original com algo a oferecer e se transforma em algo medíocre.


O inicio é um pouquinho confuso e maçante. É apresentado um pouco daquela realidade, através de Makino Hazuki, um desenvolvimento pífio e nada interessante envolvendo ela e as outras garotas. E a propósito, as personagens são estereotipadas e o carisma é quase zero. A protagonista, Makino Hazuki, parece não ter um propósito realmente válido e sua permanência ou não na história, não faz a menor diferença. Kono Ayumi é uma personagem confusa e que, se você assistiu Kara no Kyoukai, vai ser impossível não compará-la, mesmo que por breves momentos, á Shiki. Mas claro, são personagens de níveis completamente diferentes.


O que causou a guerra e como tudo chegou naquele ponto? A resolução do misterioso caso não é lá muito convincente e muito menos a motivação de um ou outro personagem envolvido. Você se sente como se tivesse sido jogado naquela realidade e nem informação lhe é fornecida, perdem muito tempo com coisas bobas e as interessantes mal são desenvolvidas. O que é um problema da adaptação, lendo esse artigo aqui, dá pra se notar que a versão original dessa história é mais contundente. Mas nem tudo é tão ruim assim, apesar das falhas e buracos na história, acontecem algumas reviravoltas até interessantes, que te fazem acordar do estado vegetativo. Mas é só por alguns instantes, ta?



A minha querida “girls band”, SCANDAL, canta a música tema do filme. É bem legalzinha a música e juntando ao fato das garotas me lembrarem um pouco as meninas de Keion (inclusive no intencional climinha de shoujo-ai presente em todos os momentos), eu preciso realmente me segurar pra não ter uma convulsão (?). Tecnicamente, não tenho nada a reclamar, apesar de ser o básico. Loups=Garous é bem méh e não é algo que deva ser recomendado, mas havia um tempinho que queria comentá-lo por aqui. Mas tem uma coisa, sem dúvida alguma, mesmo com sua execução sonífera, é bem superior á Kamisama no Memo-chou. Essa é verdade (estou sorrindo com isso que acabei de escrever, ignorem). Um beijo pra vocês. 

Scandal X Loups=Garous 


Gênero: Mistério, Sci-Fi, Fantasia, Conspiração
Tipo: Longa animado
Diretor: Jun'ichi Fujisaku
Estúdio: Production I.G
Duração: 98 min.

9 comentários :

Will disse...

Esse filme é total estranho e o foi é ridiculo. Também não gostei do character designer, por ser do stúdio de Blood Last Vampire, eu esperava mais

Borbs disse...

E ai Beta? “Namida no Regret”, muito bom. Esse é o nome da música que elas tocaram Loups=Garous, onde as próprias cantoras fizeram uma participação especial em forma de animação, que marcou o debut delas como seiyuus. A b-side “KOSHI-TANTAN” (do single “Taiyou to Kimi ga Egaku STORY”) foi usada como insert song que tem lá pelo meio do filme, faz tempo que assisti. É ruim, ruim que doí, mas foi ai que eu conheci Scandal, uma de minhas bandas preferidas *.*

junior disse...

nunca pensei em ver voce falando dele roberta ja que voce falou dele a minha esperança em ver um post de king of thorn aumentou.
na terceira imagen a menina deve começar usar desodorante contra transpiração,
pelo titulo eu esperava um anime com lobisomens estraçalhando essas garotas bonitinhas,mas mesmo com a decepção monstra e um bom filme(não chega aos pes de akira,perfect blue ou vampire hunter d mas que se pode fazer?)

Suzi disse...

Agora que você me lembrou....eu tenho esse filme baixado aqui. =D

Deixa só eu assistir que volto pra comentar!

Rosenball disse...

Eu tenho isso ai baixado e na minha lista do MAL, mas com esses comentários já fico meio desanimado de assistir algum dia.

Kauê disse...

Chega a ser lamentável a forma como certos padrões da ficção são requentados a exaustão sem acrescentar nada de novo ou rearranjar de modo digno.

Já perdi a conta de quantos animes exploram essas sociedades totalitárias, onde cada passo é controlado e blá blá blá. Só de ler a sinopse eu já broxo hahaha

Me arrisco quando muitos fala que vale a pena, um Ergo Proxy da vida, mas desse ai pelo menos sei que passarei bem longe!

junior disse...

falei ia ser melhor lobisomens despedaçando menininhas,um otimo titulo desperdiçado com um estilo ja desgastado enquanto lobisomens que não existe um anime sobre fica no limbo

Roberta Caroline disse...

@Junior:
Como você adivinhou? King of Thorn está na lista das possibilidades. Aliás, é um fato que falarei sobre, aqui.

@kauê:
Verdade e concordo com você, em partes. Há aquela série que usam a temática como uma ideia grandiosa e exploram a fundo (ou quase). Há outras que pretendem apenas contar uma história random, que se passa nesse universo cybernetico, totalitário ou utópico, usam como plano de fundo, sem ter a real intenção de aborda-los. Não tenho nada contra, desde que façam bem o que se propõe e sejam honestos. Number Six e Steins Gate, são bem honestos nesse sentido, só pra ficar nos exemplos recentes. Já Fractale falha miseravelmente.

É aquela coisa, a história pode ser boa ou ruim, dependendo de quem conta. E infelizmente, a sua impressão acaba sendo certa, pois a maioria dessas histórias ambientadas nesses universos, não conseguem nem fazer direito o dever de casa.

junior disse...

king of thorn e um anime fodastico
jurasick park+ lost+ o nevoeiro+a espera de um milagre- cadeia= King of thorn

Postar um comentário

Os comentários deste blog são moderados, então pode demorar alguns minutos até serem aprovados. Deixe seu comentário, ele é um importante feedback.