sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Falando nas entrelinhas ou não

Olá vocês! Os gritos ensandecidos da Moeka, no episódio 19 de Steins Gate, ainda ecoam pela minha mente. Afinal, é difícil se manter indiferente diante uma cena tão perturbadora. Mas ali, o que vimos foi o estopim diante uma possível perda. Em Kami nomi zo Shiru Sekai (The World God Only Knows), vemos o dia a dia de Keima, que vive quase que totalmente alheio à realidade – ou pelo menos, essa é a sua vontade – por julgar o mundo real e as pessoas 3D, basicamente, como se fossem um jogo defeituoso. Até mesmo as heroínas de cada arco da história tentam se refugiar em sua concha particular. Em Astral Project, personagens experimentam uma incrível experiência extracorpórea, que é o ato de sair do próprio corpo enquanto estão adormecidos. Para alguns, nada mais que uma válvula de escape para a vida medíocre que levam. Falando em Astral Project, pode se dizer que esse é o mote principal da história, apesar dela se apresentar de outra maneira em qualquer sinopse rasa que você ler por ai.
Bem, mas aonde eu quero chegar exatamente? Em lugar algum, apenas trocar uma ideia com vocês. Vai de lugar algum a lugar nenhum, mas não deixa de ser uma linha de raciocínio.

O que é neurose, o que é ser neurótico? Hoje em dia, essa palavra é usada de forma inapropriada, ganhando um sentido ofensivo e pejorativo. Algumas pessoas tendem a entender neurose como se fosse um sinônimo para loucura. O que certamente está longe de ser verdade. A neurose nada mais é do que uma reação exagerada do sistema nervoso em relação a uma experiência vivida. É uma maneira de a pessoa ser, de reagir a vida e os tudo que ela lhe propõe. A pessoa se tornar neurótica é apenas uma reação ao elo “ação e reação”. Como é o caso de Moeka, que passou por situações anormais, se tornando um alvo fácil a ser manipulado. Isso acontece facilmente com pessoas com graves problemas de autoestima, se agarrando a qualquer centelha de esperança para um alivio imediato.
A maneira exagerada de reagir faz com que pessoas neuróticas adotem uma série de comportamentos, como evitar determinados lugares ou tomar certas atitudes para o alivio da ansiedade, como a Moeka e seu inseparável celular. Ela o checa a todo instante a procura de uma mensagem qualquer, daquela que é a única pessoa que parece lhe entender. E há plena consciência do problema, mas muitas vezes, o neurótico sente-se impotente para modifica-lo. Como Keima, na segunda temporada do anime, onde diz ter plena consciência de sua escolha (a de se isolar das pessoas). A neurose é uma doença, mas uma doença emocional, afetiva e que faz parte da personalidade da pessoa, com raízes bem mais profundas do que simplesmente bobagens. Não se trata de uma doença mental, portanto não compromete sua inteligência e nem senso de realidade.

Eles ficam mais ansiosos, mais angustiados, mais deprimidos, mais sugestionáveis, mais teatrais, mais impressionados, mais preocupados, com mais medo, enfim, eles têm as mesmas emoções que todas as pessoas aparentemente normais possuem, porém, exageradamente.O sintoma mais comum nesse caso, é a fobia. Medo esse que faz com que Moeka acredite em um desconhecido qualquer. Faz com que as heroínas de Kami nomi zo Shiru Sekai tentem fugir da realidade e com que os otakus com fobia social de Astral Project, se refugiem cada vez mais em suas fantasias. Apesar da neurose não ser uma doença mental, ela traz consigo diversos transtornos, que são um verdadeiro problema. Na ficção é sempre mais atraente ver seu personagem chegar ao estopim, no seu limite, tendo autores que tornam tênue a linha entre loucura e suas neuroses. Já outras preferem seguir uma linha crítica, como Astral Project, ou passar a mensagem nas entrelinhas, como Kami nomi zo Shiru Sekai. Poderia citar Evangelion e outros melhores exemplos, mas deixa. Só queria escrever aqui um rascunho sobre o tema. E toda essa "putaria", só é bonita na ficção mesmo, né!? 


8 comentários :

Accelerator disse...

Olha só primeira vez q eu faço o primeiro comentario :D.
Texto bem escrito e interessante parabens ^^.
Lendo o seu texto eu percebi q talves eu seja uma pessoa bastante neurótica , mas eu não chego a me isolar q nem o Keima ou ficar olhando toda hora pro celular para ver se recebi alguma mensagem , se eu fosse q nem algum dos personagens citados eu com certeza ja teria tentado mudar nem q isso precisasse de muito esforço .
A unica coisa q eu não acho q está certa no texto é dizer q o Keima não muda por que ele se sente impotente, eu acho q ele não tenta mudar pq o ideal dele é viver daquele jeito mesmo .

Kyohei disse...

Bom, essa "putaria" não é tratada com sua força real nos animes que vc referiu, o mais perto seria a Moeka. Então já eliminamos um aspecto importante a comparação da neurose fictícia e a que realmente acontece, tinha um amigo que realmente era neurótico, não confiava nas pessoas e assim se fechava em um casulo.
Um neurótico precisa de ajuda, de um momento ou lugar que fique confortável, bom é isso que eles acreditam, assim ficando mais fácil de se manipular, seja por jogos, ou por palavras bonitas.
Quando ele começa a ser manipulado, é dificil tirar ele de lá. Pois na mente dele ele acaba achando um mundo perfeito, e então vem a ajuda de outras pessoas, que precisam mudar essa visão que aquele mundo não é real, mesmo ele estando feliz lá, ele terá que encarar a realidade em algum momento, e nesse momento acabará dando um passo para o fim desse "vicio".

Lucas Navarro disse...

Acho que todo mundo, pelo menos uma vez na vida, já quis se isolar em seu mundinho particular, mas é impossível viver assim e, cedo ou tarde, todos percebem que é inevitável ter que sair da concha.

Roberta Caroline disse...

@Accelerator

Obrigado ^_^ E realmente, o Keima não deseja uma mudança, mas isso não quer dizer que ele seja não seja impotente mediante toda a situação, é só ver o jeito como ele fica quando é "obrigado" a encarar a realidade.

@Kyohei
Na verdade, todos são retratados de forma verossímil até, dentro de cada contexto. A Moeka simplesmente, encontrou alguém que ascendeu o pavio que estourou sua bolha. O caso dela, é o mais extremo, claro. Uma pessoa real, que chega ao estado dela, precisa de uma ajuda psiquiatra urgente e nem falo isso de modo depreciativo. É fato.

@Lucas Navarro
Muitas vezes eu desejo isso. Quero sumir, me enterrar dentro da minha bolha ilusório e não saber desse mundo feio. Mas acaba sendo pior a longo prazo.

Rodrigo disse...

Gostei do post e eu acho que sou meio assim. Vivo com meu celular pra cima e pra baixo, só atualizando twitter, msn e e-mail, dificil viver desplugado do mundo virtual. Por enquanto me sinto bem assim, melhor do que ter que conviver e ser social com certos tipinhos de pessoas.

Anônimo disse...

Neurose é mt tenso, a pessoa fica meio perturbada ( n tipo doida, mas mais triste)

junior disse...

eu tinha um blog que se chamava neurose estomacal

Rodrigo disse...

Gostei do post,quem quis nunca viver no seu mundo ideal longe de toda desgraça desse mundo?Mas é impossivel mesmo.Nunca vi alguem colocoar Kami nomi zo shiru sekai, Astral Project e Steis;Gate no mesmo post.

Postar um comentário

Os comentários deste blog são moderados, então pode demorar alguns minutos até serem aprovados. Deixe seu comentário, ele é um importante feedback.