sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Preguiça de desenhar

Saudações!

Existem cenas em um anime que não faz mau nenhum serem recicladas. São até necessárias. A digievolução é um bom exemplo: sempre acompanhada de uma música evocativa, não nos importávamos de ver sempre o mesmo video toda vez que mudavam para a forma A, B ou C. Durante algum tempo, Shaman King no início foi assim também, na hora em que os personagens incorporavam os espíritos em seus corpos, o desenho era sempre o mesmo. E o que dizer da clássica transformação da Sailor Moon? Não há como reclamar.











Contudo, os animes citados acima, tinham a vantagem de terem vários capítulos, sendo assim, as repetições não pareciam tanto.
O que não é o caso de Street Fighter Victory, com seus míseros 29 episódios.
E chamou atenção justamente isso: a imensa reciclagem de imagens ao longo de vários episódios. Nenhuma inovação, nenhum novo posicionamento de câmera, nada. Só muda o fundo. E às vezes nem o fundo!
Se em Death Note era possível reconhecer cenas repetidas do episódio 01 no episódio 26, com toda essa distância de intervalo, como não reconhecer as de Street Fighter V. em um capítulo após o outro?

Cena do episódio 01

Cena do episódio 26, escurecendo o cenário.

Começarei pela preparação do Hadou Ken. É preciso que Ryu gire os braços, repetindo um movimento circular, para então carregar a bola de energia. E uma coisa que você tem que entender, é que demora muito para o Hadou Ken ser feito. Não é algo ligeiro como gritar “Yugi-oooooooohhh” e se transformar no Yami Yugi (outro exemplo de cena reciclada e rápida que não atrapalha). E este extenso movimento repetitivo é sempre focado da mesma maneira em todos os episódios em que aparece. Chega a ser incrível, de tão fácil de notar que é. Observem nas imagens que só muda o fundo, e como já disse, às vezes nem isso. As que repetem até o fundo, só postarei uma vez, mas já cito os episódios para quem quiser comprovar a quantidade absurda: 13, 16, 22, 24, 27 e 29.
Para um anime com apenas 29 episódios, em que ele aprende a usar o Hadou Ken só na metade, não é um pouco preguiça demais?

 

Na verdade, há um único instante (ao longo de todo o anime) em que a posição da câmera muda de angulo, focando Ryu levemente de perfil e mais longe do que de costume. O problema é que acontece apenas uma vez, muito rapidamente, e você sequer lembra, tamanha as repetições nos outros episódios.

Até mesmo o feixe de luz do golpe é copiado, mudando apenas o fundo, que de uma floresta, agora vemos o mar. Era tão complicado assim mudar a posilção da câmera para um ligeiro ataque desses? Sinceramente, não consigo lembrar de um Kame-hame-há em DBZ que tenha sido reciclado dessa maneira.










O mesmo vale para o Ken, e seu Hadou Sho Ryu. A câmera filma o personagem de todos os lados, mas... Sempre usando as mesmas fotos em todos os episódios em que ele prepara o golpe. Então ficamos vários minutos, vendo aquelas fotos antigas, supostamente carregando um poder novo. É difícil se convencer assim... As imagens abaixo aparecem nos episódios (e às vezes mais de uma vez!): 22, 24, 27 e 29.
 

Talvez o pior de tudo, ainda seja na tão esperada luta 'Ryu vs Ken'. Nem para fazer uma boa sequencia de luta (para um anime de luta!) os desenhistas pareciam empolgados. A luta tem sequencias de golpes extremamente curtos, e dura 3 episódios (!!). Todas as coreografias vemos repetidas no mínimo duas vezes. Todas. Às vezes colocam alguns diálogos no meio, fazendo uma pausa entre os socos reciclados, mas no fundo... É tudo repetição. As cenas postadas abaixo você vê várias vezes ao longo da luta (quando eles não estão parados, ou conversando):
Quando temos sorte, o fundo muda...

É chato assistir um anime pensando que todo ele foi feito na base do "Ctrl C + Ctrl V". Se Dragon Ball Z conseguiu fazer 291 episódios sem reciclar um golpe sequer, como Street Fighter Victory conseguiu fazer isso tantas vezes com apenas 29?
HADOU KEN!!


(Para mais dos meus textos, é só ir no menu 'Crítico Nippon', ao lado direito da tela.)

12 comentários :

Dante disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Dante disse...

Sinceramente, achei tosca essa sua crítica. Em qualquer animação existe o reaproveitamento de cenas, afinal, tempo é dinheiro.
No título da matéria você se referiu aos reaproveitamentos como "preguiça de desenhar", porra meu, você sabe como é um trabalho de um animador? Temos prazos a se cumprir, não é por que tem preguiça de desenhar.
Existem vários momentos da animação, que necessitam de reaproveitamento de desenhos ou de cenas, como um movimento de corpo.
Você citou Dragon Ball como um exemplo de animação que não usa esse tipo de coisa, é claro que usa, da próxima vez que for assistir, pode reparar que uma cena ou outra você já deve ter visto em algum episódio. E mais, repara quantas personagens vão estar falando sem movimentar o corpo, isso também é reaproveitamento. Se informe antes de vir falar alguma coisa.
(Ah, e antes que pense que estou defendendo Street Fighter ou o caralho a quatro, fique sabendo que sou animador, e sei o quanto é necessário o uso de reaproveitamento de cenas em uma animação.)

Sem mais, grato pela atenção.

Pedro S. Ekman disse...

Puts, ou você não leu o inicio do texto... ou não leu nada, simplesmente.
Querer comparar o reaproveitamento do rosto em diálogos, e o reaproveitamento de curtos golpes reciclados ao longo de 3 episódios de luta, intercalados com pausas e conversas, pra disfarçar... É muito desproprocional.
Cavaleiros é mestre em reciclar rostos que sequer piscam quando estão falando. E eu não falei nada sobre isso.
Mangás estão sempre com agendas apertadas e atrasadas, alguns tendo que terminar muito antes e incompletos. E eu não consegui achar um pra citar com reaproveitamento.
E quanto a DBZ, eu estou revendo pela milésima, e não achei, então eu sei do que estou falando.

E agora vem alguém querer me convencer que animador é a única profissão que tem que fazer bem feito dentro de um prazo e com agenda apertada... Ninguém merece.
Creio que deve ser por decisões de animadores como você, que acham que estão fazendo um favor em desenhar, que acabam optando por reciclar violentamente longos sequencias em uma penca de episódios. Alias, apenas 29.

Bassi disse...

Eu vou ter que defender tb...
Todo serviço tem um prazo e é as vezes realmente é preciso sacrificar algumas coisas na qualidade do trabalho para finaliza-lo a tempo.
Quando se trabalha com qualquer arte, isso parece impactuar de uma forma mais forte... Não me venha dizer que "tudo bem ficar colocando frames repetidos, todo mundo faz isso mesmo."
Pode até ser, mas não tem como concordar que Isso diminui a qualidade do trabalho e muito, e não adianta falar que ninguem nota, pois fica muito evidente.
Não é nenhum crime, aliás, é uma coisa bem comum na animação japonesa essa repetição, mas em arte a frase "Os fins justificam os meios" não cabe.

Roberta Caroline disse...

Mas olha só Pedro, realmente não da pra comparar Street Fighter com Dragon Ball, porque este com certeza recebeu mais investimento. Creio que não seja bem preguiça de desenhar, pois que faz o caracter designer da série, ganha justamente pra isso; desenhar. E este ainda conta com a supervisão do diretor, que se não gostar vai mandar refazer. Mas infelismente muitos animes não recebem um grande investimento e sendo assim, precisam reciclar cenas. Mesmo franquias mais bem sucessedidas no mundo dos animes, sofrem desse mal. No caso de Sailor Moon, Evangelion e Cavaleiros do Zodiaco (só pra ficar em três exemplos), sofriam muito com esse problema de verba e o resultado foi varias cenas repetidas e estaticas, mas ai é que entra a astucia do diretor. Em EVA(o anime) por exemplo, tivemos seguencias de até mais de um minuto na mesma cena, somente com o dialogo de fundo, mas ele conseguiu dar todo um charme nisso. Essa é minha opnião, acho que essa preguiça de desenhar cai melhor quando o character design de tal personagem deixa a desejar ou quando falamos de mangás. quando diz respeito a animação, acho que qualquer critica deve ser feita á direção e o estúdioo que esta animando tal anime.

Pedro S. Ekman disse...

Street Fighter, o famoso jogo, com falta de dinheiro? Não me convence.
Acho o contrário, que muitos estariam interessados em investir num anime com tanta bagagem como Street Fighter.

Mas concordo, sim, que é culpa da equipe envolvida, sem dúvidas.

vicky bozoka disse...

NÃO SEI como conseguiram. Eu não me importo com detalhes técnicos, desde que seja assistivel. Mas nem posso opinar, assisti essa bomba quando era criança e nem me lembro mais como era.

Mas tem que se levar em consideração que é um anime velho já, se não me engano foi exibido originalmente em 94 ou 95 O_O

Little Apple disse...

Eu concordo com a Vicky, não me importo muito com detalhes técnicos(a não ser que seja um fracasso gritante de animação).Eu vi Street fighter quando tinha uns 12 anos e não lembro de nada do animê, mas eu lembro que gostava, com repetição e tudo.

Dante disse...

Sinceramente, achei tosca essa sua crítica. Em qualquer animação existe o reaproveitamento de cenas, afinal, tempo é dinheiro.
No título da matéria você se referiu aos reaproveitamentos como "preguiça de desenhar", porra meu, você sabe como é um trabalho de um animador? Temos prazos a se cumprir, não é por que tem preguiça de desenhar.
Existem vários momentos da animação, que necessitam de reaproveitamento de desenhos ou de cenas, como um movimento de corpo.
Você citou Dragon Ball como um exemplo de animação que não usa esse tipo de coisa, é claro que usa, da próxima vez que for assistir, pode reparar que uma cena ou outra você já deve ter visto em algum episódio. E mais, repara quantas personagens vão estar falando sem movimentar o corpo, isso também é reaproveitamento. Se informe antes de vir falar alguma coisa.
(Ah, e antes que pense que estou defendendo Street Fighter ou o caralho a quatro, fique sabendo que sou animador, e sei o quanto é necessário o uso de reaproveitamento de cenas em uma animação.)

Sem mais, grato pela atenção.

Little Apple disse...

Eu concordo com a Vicky, não me importo muito com detalhes técnicos(a não ser que seja um fracasso gritante de animação).Eu vi Street fighter quando tinha uns 12 anos e não lembro de nada do animê, mas eu lembro que gostava, com repetição e tudo.

Anônimo disse...

Durante todo Dragon Ball até o GT reciclaram muitos movimentos.Se equivocou.

Pedro S. Ekman disse...

Eu revi TODO DragonBall Z não faz nem um mês. Não, não havia nenhuma cena ctrl C + ctrl V.
Claro que se vc quiser me mostrar exemplos para esclarecer, serão muito bem vindos.

Postar um comentário

Os comentários deste blog são moderados, então pode demorar alguns minutos até serem aprovados. Deixe seu comentário, ele é um importante feedback.