domingo, 11 de março de 2012

Tasogare Otome x Amnesia: Do Mangá Para o Anime



Tasogare Otome x Amnesia é aquele tipo de mangá que está dentro do conceito de Consumo de Massas, sendo uma série que se consome pelo imediatismo, por ser algo do momento. Afinal, meninas bonitas vendem e misture ai um plano de fundo obscuro, com um roteiro mais do mesmo, mas bom o suficiente, com flertes com elementos de terror, mistério sobrenatural e ecchi e temos aqui um produto com bom potencial de vendas. É uma formula básica e o resultado é quase sempre o esperado. Não se espera um recorde de vendagens, mas sendo algo que atrai a atenção dos mais jovens, só depende do autor desenvolver algo que consiga continuar prendendo a atenção dos leitores. Alguns possuem um potencial um pouco maior e recebem o devido investimento de suas editoras, como é o caso de Tasogare Otome x Amnesia e Sankarea, que acabaram de ganhar adaptação para animes. Se entre o fandom ocidental, essas series já vinha chamando a atenção, ainda que longe de serem um hit otaku como Deadman Wonderlad ou Mirai Nikki, possuem particularidades (assim como pontos em comum) que as fizeram destacar no mar de series medianas.

Curiosamente, o @PaninoManino já havia feito 7 meses atrás um post com base em um Chart Fake que jogaram no twitter e que acabou causando uma grande repercussão (aliás, recomendo a leitura: A MelhorTemporada De Animes Que Você Nunca Vai Ver). Sem dúvidas, ali tinha animes realmente incríveis. Outros nem tanto, mas bons o suficiente para que o fandom ansiasse por uma adaptação. Acabou acontecendo com Tasogare Otome x Amnesia, que segundo eu mesma havia comentado no post do Subete Animes, é algo que você pode viver sem ter lido, mas que possui uma leitura extremamente prazerosa para quem quer apenas relaxar com uma série extremamente “pipoca”. E ToxA (Tasogare Otome x Amnesia) te oferece entretenimento, sem subestimar o seu lado crítico.


Na verdade, ToxA é um terror que não tem a intenção de assustar, muito pelo contrário. Podemos relacionar diretamente com Kaibutsu Oujo (Princess Resurrection), uma fantasia de horror, com flerte com o sobrenatural e a comédia ecchi. Mas aqui, o humor é menos explicito e mais intrínseco nas situações que ocorrem, assim como o ecchi soa quase que naturalmente, sendo bem integrado ao roteiro e sendo muito mais conotativo, que visual. Mas particularmente, vejo como a grande força de ToxA, no mistério sobrenatural e o carisma dos personagens. Felicitações ao Maybe, pseudônimo do autor, que desenvolve um roteiro capaz de prender e ser intrigante, e mesmo com grandes reviravoltas, ainda aparentemente até então (volume 5), bem raso.

[As muitas faces da Yuuko - Clique para ampliar]



Por dentro de Tasogare Otome x Amnésia: A Dama Negra da Amnésia!

A história de ToxA gira em torno da escola Seikyou, construída ao topo de um morro a mais de 60 anos atrás e abrigando desde então, diversas lendas urbanas, como os 7 mistérios da escola. Uma construção antiga assim, certamente guarda diversos segredos, como por exemplo; um labirinto de escadas, corredores e salas de aula não utilizadas, que acabam se tornando fonte de inspiração para os alunos a criar as mais diversas histórias de fantasmas.

ToxA é sobre isso.


Ah, claro! A história não é apenas sobre a escola e seus mistérios, mas também o pequeno e fixo numero de personagens aficionados por histórias de terror. Temos Teiichi Niiya, o bom protagonista da série, um estudante da Seikyou Academy que ao se perder no vasto e complexo edifício da escola, acaba dando de cara com a ótima e carismática heroína de ToxA; Yuuko Kanoe – Que se apresenta como o “Espirito do antigo edifício da escola”, nada mais que um dos 7 mistérios da escola, contidos na trama.

É tudo muito rápido e bem desenvolvido. Tão dinâmico que te apresenta à história e os personagens base, sem perder o fôlego. Sendo assim, no segundo capitulo já é possível estar completamente familiarizado com aquele ambiente. A história tem um ritmo episódico, mas que interage com a trama principal a todo o momento. No caso, o grande segredo da série é Yuuko, que depois de ser morta há muito tempo atrás, tem vivido vagando pelo edifício da escola. A trama já começa num ponto onde a Yuuko já não mantem mais nenhuma lembrança de seu passado, nem muito menos do motivo de sua morte. Obviamente, seguindo o velho clichê das histórias de fantasmas japonesas, esse motivo é o que a prende nesse mundo. Até o atual momento, muito de sua história já foi revelada, assim como boas trucagens de roteiro que conseguem fisgar a curiosidade e interesse do leitor para com o enredo. Então é o tipo de série, que um capítulo perdido, já faz uma pequena diferença no entendimento da história.


O Clube Paranormal, que é formado no mangá, além de Teiichi e Yuuko, por Momoe Okonogi e Kirie Kanoe, já se tornou uma formula bem batida. Mas entre tantas, certamente ToxA consegue se destacar facilmente. Como comentei, a diferença está nos personagens e numa trama coesa e bem escrita. É uma combinação perfeita de uma série bem humorada, que mistura fantasmas e lendas urbanas. Pra começar, tem aquele jogo que muitas séries de mistério sobrenatural adoram que é brincar com a figura do sobrenatural. Criam todo um jogo psicológico, onde a existência do lado sobrenatural se torna cada vez mais evidente, só para no final, provar que nada daquilo é real. À bem da verdade, a Yuuko é o único fantasma a transitar por aquela escola e de alguma forma, todos os mistérios e acontecimentos ali, na maioria das vezes tem o dedinho da nossa querida, atraente e sexy fantasminha. Mesmo que todos os casos não sejam originais e inquietantes, todos eles valeram pelos seus finais, sejam pelo fator surpresa, ou pelos excelentes efeitos visuais. E bem, para uma história que não se propõe a assustar, mas sim instigar, não é raro você se deparar com situações de extremo suspense e emoção ao desenrolar das tramas.

Falando um pouco mais sobre as personagens, temos aqui peças excelentes, mesmo que subutilizadas. Momoe Okonogi é a mola propulsora. Garota hiperativa ao extremo e com fascinação pelo oculto, sempre arrasta Teiichi e consequentemente a Yuuko, ao qual ela não pode enxergar, para os estranhos acontecimentos que envolvem a escola e seus estudantes. Ela é divertida e é a típica personagem ingênua. Divertido principalmente pelo seu aparente e despreocupado apego ao Teiichi, o que sempre acaba gerando situações de extremos ciúmes e revolta por parte de Yuuko. Aqui, entra toda a técnica de Maybe, que faz expressões que independem de diálogos para rir. Você olha para Yuuko ou para o Teiichi, e suas expressões te parecem muito familiares e verossímeis. E por falar na arte de Maybe, essa é sua primeira grande série, tendo um currículo recheado de hentais e doujins. Como sabem, desenhistas de hentai, costumam ter uma técnica aguçada para desenhar corpos femininos. E ele usa isso ao seu favor em ToxA, com um character designer realmente muito bonito. Especialmente em sua musa, Yuuko.


Yuuko é uma personagem com um corpão e cabelos muito lindos. Assim como gestos extremamente delicados, seja numa esvoaçar de cabelos, um olhar, caminhar ou sorriso de canto de lábios. Com traços tão marcantes, uma personalidade igualmente forte é requerida e devidamente injetada na personagem. Que ainda mantem um espirito de garota bem brincalhona e criançona. Mas sem deixar de lado seu lado naturalmente pervertido. 

Com relação a traços, no pouco quadro de personagens, Yuuko é a que mais se destaca, mesmo com todas as outras recebendo um belo traçado, acabam não destacando muito, como a Momoe e o Teiichi. A Kirie Kanoe por outro lado, tal qual a Yuuko, tem um traçado bem forte e característico, assim como um corpo escultural. Ainda sobre a Yuuko, cai bem eu comentar que a arte de Maybe cresce ainda mais, quando ele precisa desenha-a em outras formas. Isso porque, todos aqueles que têm sensibilidade, veem Yuuko de uma forma diferente, sendo mais um produto de seus subconscientes. Isso pelo fato da série pegar muito no lado psicológico dos personagens, lembrando bastante de XXXHOLiC, onde os personagens viam o que queriam e consequentemente essas coisas, frutos de suas imaginações, acabavam fazendo um mal real à vítima. E no fim das contas, será que a Yuuko vai ter existido de verdade, ou não passará de puro delírio do Teiichi?

[Detalhes comentados acima, como enquadramentos e ângulos - Clique pra ampliar]


Comentários Gerais

ToxA não é um mangá onde você vai encontrar gore ou mesmo o menor traço de violência visual. Nem peitinhos ou ângulos ginecológicos. Mas te dá um belo quadro de personagens, que não, não vão morrendo a cada capítulo. Apesar do enredo girar em torno de um protagonista masculino e três personagens femininas em seu encalço, não é o que podemos chamar de harém. Desde o primeiro momento, Maybe já deixou claro seu par romântico, que não sabemos ao certo se irá às vias de fato ou não, mas que atrai a atenção dos shippers. E consequentemente, acaba não dando muito enfoque nesse sentido para as outras personagens. Assim como se torna natural com o decorrer dos capítulos, ver Teiichi e Yuuko como um casal não declarado, uma vez que ambos se comportam como se fosse um.


Eu bati bastante na tecla dos personagens e do roteiro, porém ToxA não seria o Tasogare Otome x Amnésia que eu conheço, se não fosse a excelente arte de Maybe, que faz uns efeitos visuais realmente impressionantes. A história que se inicia com um tom mais claro, vai ganhando contornos um pouco mais sinistros, claro, pela ótica dos desenhos dele. Ele sabe fazer um bom enquadramento de páginas, que ao mesmo tempo em que se preocupa com cada detalhe de cada quadro, não deixa a página muito poluída, pelo contrário, se percebe todos os elementos ali contidos bem facilmente. Isso acaba acrescentando para a atmosfera da série, que faz parte de um gênero que depende demais dos desenhos para passar o clima ideal. Com isso, temos um sombreamento muito mais escuto (um tom bem preto), do que cinza. Mesmo quando nos balões, lemos um dialogo casual, o plano de fundo acaba sendo um pouco inquietante, seja por ser muito bonito, mas passar um clima de suspense, ou pela composição suja e envelhecida. Tudo isso, torna o ambiente bem crível para histórias de terror, ainda que elas não existam realmente naquele universo, com exceção da Yuuko.

Tasogare Otome × Amnesia foi lançado inicialmente como um oneshot intitulado Otomegokoro to Yuu no Sora, mas pela boa recepção, ainda em 2008, lá pelo finalzinho de Dezembro, acabou ganhando uma serialização fixa pelas páginas da revista Gangan Joker da editora Square Enix. Essa revista shounen, inclusive é casa de adaptações de franquias de sucessos como Corpse Party: BloodCovered, Higurashi e Umineko, Hanasaku Iroha e por ai vai. Com a adaptação de anime que ocorrerá agora, em abril (2012), que virá juntamente com o sexto volume da série, o que se espera é que as atenções se voltem ainda mais para o título, que esbanja muito folego e se encontra em seu melhor momento. Sim, ToxA está muito distante de seu fim, e teremos ai uma bela propaganda de 23 minutos e inconclusivo. E que também promete reacender a discussão de "qual é o melhor, adaptação ou original?". A única certeza é que uma adaptação, é uma outra obra e ser bom ou não, independe do original. Logo, também seria uma ótima pedida para o mercado brasileiro, uma vez que a série possui um potencial comercial bem alto. Como se vê, é uma grande bobagem de mangás adolescentes, mas a série é ótima. Execução, clima, personagens, visual e um bom roteiro recheado de surpresas, para quem procura histórias de terror, comédia ecchi, romance e investigação sobrenatural, tudo na mesma embalagem, sem perder a qualidade final do produto. Sem dúvidas, um dos melhores desse filão. Não deixe de conhecer ToxA.

Volumes: 05 (em andamento)
Ano: 1998
Autor: Maybe
Revista: GanGan JOKER (Square Enix)
Demografia: Shounen
Gênero: Horror/ Mistério/Sobrenatural/ Romance/School Life